quinta-feira, 17 de maio de 2018

CONTAG apresenta demandas da agricultura familiar para Casa Civil







FOTO: Lívia Barreto



Para garantir a execução e criação de políticas públicas que garantam direitos e melhorem a qualidade de vida de milhões de agricultores e agricultoras familiares de todo o Brasil, representantes da CONTAG reuniram-se hoje (17) com o Ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, e entregaram pauta com nove temas centrais: a recriação do Ministério do Desenvolvimento Agrário; Reforma Agrária; Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER); Habitação Rural; o aumento de recursos para o Pronaf para o Plano Safra 2018/2019; a negociação de dívidas da agricultura familiar; luta contra os agrotóxicos; Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e INSS Digital.
Representaram a CONTAG o vice-presidente e secretário de Relações Internacionais, Alberto Broch, o secretário de Política Agrícola, Antoninho Rovaris, a secretária de Terceira Idade, Josefa Rita da Silva, e a Secretária de Jovens, Mônica Bufon Augusto. Estiveram presentes também o presidente da Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Rio Grande do Sul (FETAG-RS), Carlos Joel da Silva, além da senadora Ana Amélia (PP-RS).

“A CONTAG pautou firmemente o governo federal e cobrou respostas a essas demandas”, afirmou Alberto Broch, que destacou para Eliseu Padilha a importância das questões sobre a Reforma Agrária, assim como das Políticas Agrícolas e Sociais que vão garantir renda e condições adequadas de vida aos trabalhadores(as) rurais. “Na reunião de hoje Padilha apenas nos ouviu com muita atenção e agendou outra reunião para a próxima terça-feira (dia 22 de maio) para aprofundarmos a discussão da pauta e encaminharmos com outros ministérios”, explicou Broch. Também ficou acertada uma reunião para a próxima segunda-feira (dia 21 de maio) com o Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) sobre o INSS Digital.

Para a secretária de Jovens da CONTAG, Mônica Bufon, é preciso mostrar para o governo que o Movimento Sindical dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares (MSTTR) está pronto para defender os direitos de sua base em qualquer circunstância. “Além disso, sabemos que lutar por Reforma Agrária, ATER, PAA, INSS Digital e outras políticas públicas é também lutar pela juventude rural, pois, sem condições de produção e geração e renda, os(as) jovens não ficam na terra”, argumenta a dirigente.

A secretária de Terceira Idade, Josefa Rita da Silva, concorda e acrescenta: “Precisamos mostrar para este governo que os trabalhadores e trabalhadoras rurais estão vivos e muito alerta para seus direitos. Não vamos aceitar calados a retirada de direitos e o desmonte das políticas públicas, para deixar as pessoas do meio rural na miséria”, reforça Josefa.

O secretário de Política Agrícola da CONTAG, Antoninho Rovaris, acredita que a próxima reunião, que contará com a presença de representantes de outras federações, poderá apresentar encaminhamentos efetivos. “Hoje o ministro Padilha demonstrou desconhecer nossa pauta, mesmo que ela tenha sido entregue no dia 3 de abril. Ainda assim nos ouviu atentamente e vai dar continuidade às negociações”, avaliou Rovaris.

Grito de Alerta no Rio Grande do Sul

O presidente da FETAG-RS, Carlos Joel da Silva, destacou que sua presença na reunião de hoje com o Ministro da Casa Civil foi compreendida como parte do processo de mobilização que reúne hoje mais de oito mil pessoas em caminhada na região de fronteira do estado, entre o município de Entre Ijuís e o município de Santo Ângelo. Trata-se do segundo dia do 8º Grito de Alerta, ação realizada anualmente no Rio Grande do Sul. Neste ano, a mobilização tem como objetivo alertar os governos estadual e federal sobre as demandas da agricultura familiar e também sobre questões do País - como corrupção e foro privilegiado - que têm reflexo também nos direitos dos(as) trabalhadores(as) rurais.

“É preciso pressionar para garantir políticas para geração de renda para os trabalhadores rurais, que têm altos custos com diesel, energia elétrica, insumos, mas não têm a garantia de preço final satisfatório. Precisamos melhorar políticas e programas para a agricultura familiar, que hoje ainda têm muitas travas e problemas”, afirmou Carlos Joel da Silva.

Crédito Produtivo Orientado e FGRCRural

Hoje (17) pela manhã também foi realizada outra reunião importante para a agricultura familiar. A Secretaria de Política Agrícola da CONTAG reuniu-se com representantes da Secretaria Especial de Agricultura Familiar e Desenvolvimento Agrário da Casa Civil (Sead), Banco do Brasil, Banco do Nordeste, Ministério da Integração e Ministério da Fazenda.

A pauta foram a operacionalização do Crédito Produtivo Orientado de Investimento (Pronaf Produtivo Orientado) e o Fundo Garantidor de Risco de Crédito de Operações de Financiamento de Investimento Rural (FGRCRural).

Dentre os diversos pontos discutidos sobre os dois temas, foram alcançados os seguintes encaminhamentos:

- No dia 14 de junho, durante o Fórum do Crédito, Seguro e PGPAF, o BNDES apresentará experiências exitosas de fundos garantidores. A partir disso, será formado um grupo de trabalho para elaborar proposta de metodologia para implementar o Fundo Garantidor de Risco de Crédito de Operações de Financiamento de Investimento Rural (FGRCRural).

- A Sead garantiu que os juros do Pronaf Produtivo Orientado serão reduzidos de 4,5% para 2,5% ao ano já no Plano Safra 2018/2019.

- Em resposta à demanda da CONTAG pela ampliação do teto de financiamento e da remuneração pelos serviços de ATER, foi encaminhado que os trabalhos serão iniciados com os atuais valores.

- Custeio associado ao Pronaf Produtivo Orientado: questão sanada porque a regra atual permite que até 35% do financiamento do investimento seja destinado ao custeio de atividade produtiva associada ao projeto.

- A CONTAG vai elaborar proposta de monitoramento de avaliação dos resultados dos projetos pilotos, que depois será construída também com o governo.

- Somente as instituições credenciadas no sistema de Gerenciamento e Avaliação da Agência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (Anater) poderão operar o Pronaf Produtivo Orientado.

- Amanhã (18 de maio), a CONTAG e a gerência de Formação da Anater se reunirão para discutir metodologias e encaminhamentos para a realização de capacitações de multiplicadores do Pronaf Produtivo Orientado.

“A expectativa é iniciar a contratação por meio de projetos piloto estaduais como forma de avaliar os normativos vigentes, as metodologias de ATER e os impactos efetivos e positivos nas vidas das famílias, como geração e apropriação de renda. Essa avaliação vai permitir o aperfeiçoamento do programa no futuro, principalmente no que diz respeito à forma de prestação de serviço de ATER aos agricultores(as) familiares”, afirma Antoninho Rovaris.

O secretário de Política Agrícola da CONTAG informa que esta foi a primeira de uma série de reuniões de trabalho para efetivar a operacionalização do Pronaf Produtivo Orientado nas regiões Norte, Nordeste e Centro Oeste.


FONTE: Assessoria de Comunicação CONTAG - Lívia Barreto

quarta-feira, 16 de maio de 2018

Curso nacional debate a política de comunicação do MSTTR e a criação de rede de comunicadores populares







FOTO: César Ramos




Dirigentes sindicais, profissionais de comunicação das Federações, educadores populares: a diversidade do público é uma das riquezas do Curso Nacional de Educação Popular em Tecnologias da Informação e Comunicação, que acontece em Brasília nesta semana – de 15 a 17 de maio. São mais de 70 pessoas que tem como um dos principais objetivos analisar e debater a importância da comunicação para o fortalecimento da luta sindical e, dessa maneira, contribuir para a atualização da Política Nacional de Comunicação do Movimento Sindical dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares. Outra pauta importante deste curso é a construção de uma rede de comunicadores populares, a exemplo da rede de educadores(as) populares da Escola Nacional de Formação da CONTAG (Enfoc).



A programação do curso incluiu palestras e conversas de especialistas como o presidente do Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé, Altamiro Borges, a jornalista da Repórter Brasil Ana Magalhães e a representante do coletivo de comunicação Intervozes, Bia Barbosa. Eles trouxeram panorama da comunicação sindical e também a importância da comunicação popular se contrapor às narrativas da mídia comercial que apoia o golpe, o agronegócio e a agenda de retrocessos políticos e sociais impostos pela elite brasileira que se baseia na desigualdade e da pobreza.

Oportunidade para avanço



Para a secretária Geral da Federação dos Trabalhadores(as) Rurais do Estado de Sergipe (FETASE), Cleide Matias de Jesus, o curso veio em um momento muito bom, pois a federação sente a falta de um processo de comunicação consolidado no estado. “Temos um site e grupos no whatsapp, mas não temos divulgado com eficiência nossas ações e nossas conquistas. A partir das discussões realizadas aqui, vamos levar a questão da comunicação para a diretoria e buscar meios para avançar”, afirmou a dirigente.

O educador popular Otávio Cazuza, do município de Pindobaçu (BA), afirmou que o curso é uma grande oportunidade de receber informações que, de acordo com ele, não chegam com clareza na base, além de ter contato com especialistas e companheiros(as) que não vão até a base. Para Cazuza, a rede de educadores(as) populares entende a importância da comunicação para a formação e multiplicação de conhecimento entre os(as) trabalhadores(as) rurais. “Inclusive no último Encontro de Formação da Bahia foi dedicado espaço para a discussão da comunicação, que foi muito interessante”, lembrou o educador.

Exemplo prático


Viviana Ramos, à esquerda, em trabalho de grupo. Foto Lívia Barreto

A assessora de comunicação da Federação dos(as) Trabalhadores(as) Rurais do Estado de Santa Catarina (FETAESC), Viviana Ramos, acredita que um ponto forte do curso é a troca de conhecimentos e experiências entre os(as) representantes dos estados. “É possível perceber que temos desafios semelhantes em todo o País, apesar das diferenças regionais, e todos(as) queremos que a comunicação seja valorizada, pois pode realmente fazer a diferença na luta”, afirma a jornalista, que deu exemplo concreto do poder da comunicação:

“Fiz uma matéria contando a história de uma agricultora que criou a primeira agroindústria de aipim do município de Ituporanga, como resultado do Curso de Mulheres Empreendedoras realizado pela FETAESC. A agroindústria hoje é o principal meio de renda da família e manteve os dois filhos dela no campo, promovendo não apenas o empreendedorismo feminino como também a sucessão rural. Essa história já foi capa em jornal de Santa Catarina, matéria em diversas rádios e blogs, com potencial de ir para a televisão. Isso aumenta a visibilidade da agricultura familiar e do trabalho da federação”, conta Viviana Ramos.

Investimento para o debate de ideias



O curso conta também com a presença de um presidente de federação, Júlio César Mendel, da Federação dos Trabalhadores(as) Rurais do Estado do Espírito Santo (FETAES). Para ele, o evento é importante para a sensibilização dos dirigentes sindicais para o fato que comunicação não é gasto, mas investimento. “Em nosso estado fazemos encontro anuais de comunicação, pois acreditamos que é através da comunicação que chegamos até a base, apresentando nossas bandeiras de luta e também informações que dão a base para as discussões e para a luta”, disse o presidente da FETAES.

A assessora de comunicação da Federação dos Trabalhadores(as) Rurais do Estado de Rondônia (FETAGRO), Luciane Machado, acredita que o curso é importante e necessário pois, para ela, a comunicação tem sido colocada como pauta central no MSTTR - a exemplo das discussões no 12º Congresso Nacional dos Trabalhadores(as) Rurais – mas, na prática, o tema ainda não alcança a base. “Aqui estão presentes não apenas nós jornalistas, que executamos o trabalho de comunicação, mas também dirigentes que são quem decidem politicamente. A presença de educadores(as) populares também é importante para o debate de como construir uma rede forte de comunicadores(as) que vão ampliar o alcance de nossa mensagem”, afirma.

O assessor de comunicação da Federação de Trabalhadores(as) Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares do Estado do Ceará (FETRAECE), Janes P. Souza, também acredita na força de uma rede de comunicadores(as). “Se trabalharmos separadamente, seremos engolidos pela mídia tradicional. Mas se trabalhadores(as) e dirigentes se compreenderem como parte de uma rede, como já acontece com a rede da Enfoc, teremos uma oportunidade gigantesca para contrapor os argumentos dos grandes meios de comunicação”, argumenta Janes.

FONTE: Assessoria de Comunicação CONTAG - Lívia Barreto

terça-feira, 15 de maio de 2018

EDUCAÇÃO POPULAR EM TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO







FOTO: Comunicação CONTAG- César Ramos


Assista AQUI a abertura política do CURSO NACIONAL DE EDUCAÇÃO POPULAR EM TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

E também o Painel: Papel da Comunicação Sindical na disputa política do Brasil. Com as jornalistas: Ana Magalhães – Repórter Brasil; Bia Barbosa – Intervozes; e coordenação de mesa do presidente da CONTAG, Aristides Santos. Clique AQUI

O Curso tem como objetivos discutir o papel da Comunicação Sindical na disputa de narrativa com os grandes meios de Comunicação do Brasil; revisitar a Política de Comunicação da CONTAG; e criar a Rede dos Comunicadores e Comunicadoras Populares.

PROGRAMAÇÃO
Na programação dos três dias, os(as) cerca de 81 participantes, entre dirigentes sindicais, Assessorias de Comunicação das Federações e educadores(as) populares da Rede ENFOC, terão a oportunidade de acompanhar:

Terça-feira (15)- Após a abertura política com a Direção da CONTAG, segue o Painel: Papel da Comunicação Sindical na disputa política do Brasil, com as jornalistas: Ana Magalhães da Repórter Brasil; Bia Barbosa da Intervozes e a coordenação de mesa do presidente da CONTAG Aristides Santos.

A tarde tem início a revisita da Política de Comunicação do sistema CONTAG, com o Painel: Comunicação Sindical, que será apresentado por Altamiro Borges – presidente do Centro de Estudos da Mídia Alternativa “Barão de Itararé”.

Quarta-feira (16)- Prosa coletiva sobre os caminhos para fortalecer e avançar a Política de Comunicação do Sistema CONTAG, também com Altamiro Borges e os jornalistas do setor de Comunicação da CONTAG Barack Fernandes e Verônica Tozzi.

Quinta-feira (17)- Conversa sobre a Comunicação Popular em Rede, com Tatiana Lima do Núcleo Piratininga de Comunicação. A tarde do último dia terá apresentação da experiência da Rede de Educadores(as) Populares da ENFOC.

Ao final do Curso/Coletivo, está proposta a criação de uma Rede de Comunicadores e Comunicadoras Populares do sistema CONTAG.

“Todos os caminhos que estamos seguindo no nosso CURSO NACIONAL DE EDUCAÇÃO POPULAR EM TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ou Coletivo de Comunicação da CONTAG foram apontados pelo 12º Congresso da nossa organização. Assim, acreditamos que será uma boa reflexão no debate sobre o papel da Comunicação Sindical, na perspectiva de fortalecer as nossas relações internas e externas implementarmos nossas bandeiras de luta”, ressalta o presidente da CONTAG Aristides Santos.

Aristides, ainda destaca que nesse caminho de fortalecimento da Política de Comunicação, a CONTAG passou a integrar a Executiva do Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC) e também a Diretoria do Centro de Estudos da Mídia Alternativa “Barão de Itararé”.

A expectativa da CONTAG é que após o Curso Nacional as discussões continuem em um itinerário que contemplará as 5 regiões do Brasil (NORDESTE, NORTE, CENTRO-OESTE, SUL e SUDESTE).

FONTE: Comunicação CONTAG

Pico do Cabugi receberá Ecoposto do Idema







A equipe do Insituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente – IDEMA esteve nessa quinta-feira,10/05, em visita técnica ao Pico do Cabugi, na região central do estado. Na ocasião foi feito o reconhecimento da área que receberá, em breve, um Ecoposto do Idema, espaço físico que vai oferecer melhor estrutura e segurança para os visitantes do local. O diretor geral do IDEMA, Rondinelle Oliveira, integrou a equipe em visita e destacou as potencialidades turísticas da região.

“O Pico do Cabugi é um cartão postal do nosso estado e essa é uma região de grande potencial turístico. Vamos investir para estruturar o Parque Ecológico Pico do Cabugy e ampliar o turismo da região, de forma sustentável e com responsabilidade ambiental”, ressaltou.

Participaram também da visita técnica ao Pico do Cabugi, o Secretário de Estado do Turismo, Manuel Neto Gaspar Junior, a Supervisora do Núcleo de Unidades de Conservação (NUC), Isalúcia Cavalcante, a bióloga e gestora do Parque Estadual Mata da Pipa (PEMP), Mariana Gondim, e coordenadora do Grupo Auxiliar de Administração geral do IDEMA, Keila Moreira.

O vulcão adormecido faz parte do Parque Ecológico Pico do Cabugy. Localizado na região central do estado, no município de Angicos, o parque possui 2.164 hectares e tem o objetivo de proteger um dos raros remanescentes da atividade vulcânica do território nacional, além de conservar uma porção do bioma caatinga e estimular a atividade turística local sem comprometer o meio ambiente. O Pico do Cabugi é uma formação geológica que se eleva a 590 metros de altitude e apresenta uma diversidade significativa de atrativos naturais para o turismo ecológico e de aventura.

fonte do blog de robson cabugi

Comunicadores populares representam a FETARN no Curso Nacional de Educação Popular em Tecnologias da Informação e Comunicação



São cinco comunicadores populares representando a Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares do Estado do Rio Grande do Norte (FETARN) no Curso Nacional de Educação Popular em Tecnologias Sociais da Informação e Comunicação. O curso está sendo promovido pela Confederação Nacional dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares (CONTAG).


O curso tem o objetivo de discutir o papel da comunicação sindical na disputa de narrativa com os grandes meios de comunicação do Brasil, na perspectiva de garantir que as bandeiras de luta defendidas pelo sistema Confederativo (CONTAG, FETAGs e os Sindicatos de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais – STTRs). Estarão contribuindo com os debates figuras como a jornalista Ana Magalhães, da reporte Brasil; Bia Barbosa, da Intervozes; Altamiro Borges, presidente do Centro de Estudos de Mídia Alternativa “Barão de Itararé” e os ancoras da comunicação da CONTAG, Baraque Fernandes e Veronica Tozzi.


Representam o RN: Divina Maria, Jocelino Dantas, José Saldanha, Maria Daguia e Francisca de Freitas. Vejam o perfil dos participantes pelo RN:


Divina Maria, Secretária Geral e Comunicação da FETARN;
Jocelino Dantas, Secretário de Política Agrícola da FETARN, educador popular pela Escola Nacional de Formação da CONTAG (ENFOC), ex-comunicador de rádio e mantém o Blog do Jocelino Dantas desde 2009;


José Saldanha, presidente do Sindicato de Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares de Baraúna, Presidente da Federação dos Trabalhadores Rurais Assalariados do RN (FETRAERN) e apresentador do Programa de Rádio “A Voz da Agricultura Familiar” através da rádio 104 FM, em Baraúnas;


Maria Daguia, presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares de Acari, onde o Sindicato mantém o programa de rádio “A Voz do Campo” pela rádio Gargalheiras FM, a mesma também é educadora popular da ENFOC;


Francisca de Freitas, é funcionária do Sindicato dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares de Caicó e apresentadora do Programa de rádio “Em Macha Para o Campo”, através da Rádio Rural de Caicó.













fonte do blog de jocelino dantas

quinta-feira, 10 de maio de 2018

Caminhos para fortalecer a Comunicação e as Bandeiras de luta do Sistema CONTAG







FOTO: Comunicação CONTAG- Fabrício Martins


Com os objetivos de discutir o papel da Comunicação Sindical na disputa de narrativa com os grandes meios de Comunicação do Brasil; revisitar a Política de Comunicação da CONTAG; e criar a Rede dos Comunicadores e Comunicadoras Populares; acontece de 15 a 17 de maio, no Centro de Estudo Sindical Rural CESIR/CONTAG, em Brasília-DF, o CURSO NACIONAL DE EDUCAÇÃO POPULAR EM TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO.

PROGRAMAÇÃO
Na programação dos três dias, os(as) cerca de 81 participantes, entre dirigentes sindicais, Assessorias de Comunicação das Federações e educadores(as) populares da Rede ENFOC, terão a oportunidade de acompanhar:

Terça-feira (15)- Após a abertura política com a Direção da CONTAG, segue o Painel: Papel da Comunicação Sindical na disputa política do Brasil, com as jornalistas: Ana Magalhães da Repórter Brasil; Bia Barbosa da Intervozes e a coordenação de mesa do presidente da CONTAG Aristides Santos.

A tarde tem início a revisita da Política de Comunicação do sistema CONTAG, com o Painel: Comunicação Sindical, que será apresentado por Altamiro Borges – presidente do Centro de Estudos da Mídia Alternativa “Barão de Itararé”.

Quarta-feira (16)- Prosa coletiva sobre os caminhos para fortalecer e avançar a Política de Comunicação do Sistema CONTAG, também com Altamiro Borges e os jornalistas do setor de Comunicação da CONTAG Barack Fernandes e Verônica Tozzi.

Quinta-feira (17)- Conversa sobre a Comunicação Popular em Rede, com Tatiana Lima do Núcleo Piratininga de Comunicação. A tarde do último dia terá apresentação da experiência da Rede de Educadores(as) Populares da ENFOC.
Ao final do Curso/Coletivo, está proposta a criação de uma Rede de Comunicadores e Comunicadoras Populares do sistema CONTAG.

“Todos os caminhos que estamos seguindo no nosso CURSO NACIONAL DE EDUCAÇÃO POPULAR EM TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ou Coletivo de Comunicação da CONTAG foram apontados pelo 12º Congresso da nossa organização. Assim, acreditamos que será uma boa reflexão no debate sobre o papel da Comunicação Sindical, na perspectiva de fortalecer as nossas relações internas e externas na perspectiva de fazer uma disputa de narrativa para garantir da implementação das nossas bandeiras de luta”, ressalta o presidente da CONTAG Aristides Santos.

Aristides, ainda destaca que nesse caminho de fortalecimento da Política de Comunicação, a CONTAG passou a integrar a Executiva do Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC) e também a Diretoria do Centro de Estudos da Mídia Alternativa “Barão de Itararé”.

A expectativa da CONTAG é que após o Curso Nacional as discussões continuem em um itinerário que contemplará as 5 regiões do Brasil (NORDESTE, NORTE, CENTRO-OESTE, SUL e SUDESTE).

FONTE: Comunicação CONTAG- Barack Fernandes

Sindicatos Rurais do Mato Grande e Região Central participam de reunião com a Justiça Federal em Ceara Mirim


Os Sindicatos de Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares das regiões do Mato Grande e Região Central participaram nesta terça feira, dia 08 de maio, de reunião com a Justiça Federal de Ceara Mirim. A reunião foi presidida pelo Juíz Federal da 15ª vara, Dr. Halisson Bezerra.


A principal pauta do evento foi sobre os procedimentos processuais da previdência social e elementos para evitar fraudes. Tiveram como palestrantes o procurador federal Dr. Bruno Azevedo e a Delegada chefe da delegacia de crimes previdenciários da Polícia Federal, Dra. Poliana Pimenta.


O Secretário de Politica Agrícola da Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares do RN (FETARN), Jocelino Dantas presente no evento, parabenizou a Justiça Federal pela iniciativa, mas ressaltou que a Federação vem realizando desde 2015 um trabalho de recadastramento dos quadros de associados para evitar distorções administrativas ocorridas durante a história dos Sindicatos, como sócios que já não estão mais na categoria e que não conseguiriam mais provar a condição de segurado especial na atualidade. Segundo ainda o dirigente esse já é um trabalho que culmina na mesma preocupação da iniciativa da Justiça Federal no objetivo do evento.


A reunião também contou com a participação dos representantes das Colônias de Pescadores da região. Também houve uma boa participação dos assessores jurídicos que prestam serviços aos Sindicatos e Colônias.



Foto: JF/RN







fonte do blog de jocelino dantas

Oficina Estadual sobre Sustentabilidade político-financeira do sistema CONTAG reúne dirigentes sindicais e assessores no RN






Iniciou nessa segunda feira dia 07 de abril em Natal, a Oficina Estadual sobre Sustentabilidade Político-Financeira com a participação de toda a FETARN através dos seus Diretores e Diretoras, Conselho Fiscal, assessores e funcionários, além das Coordenações dos Polos Sindicais de todo o Estado.


Conforme Planejamento anual da CONTAG, a Secretaria de Finanças e Administração, em parceria com a Secretaria de Políticas Sociais realizarão 26 oficinas em todo o Brasil nesse ano de 2018, com o objetivo de promover o diálogo com a base sindical e aproximar cada vez mais as entidades que compõe o Movimento Sindical.





"A Oficina está tendo muito participação nos debates sobre os desafios atuais do sistema CONTAG e os temas estratégicos: Coban, CNIS Rural, Fundo de Amparo Social, SisCONTAG, INSS Digital, entre outros. Temos certeza que a partir dessas reflexões possibilitaremos uma ação sindical mais qualitativa junto aos trabalhadores rurais agricultores e agricultoras familiares, sobretudo, neste momento de incertezas impostas por um governo ilegítimo e golpista, que se alia ao capital estrangeiro para avançar com o neoliberalismo", ressaltou o secretário de Finanças e Administração da CONTAG Juraci Souto.





A secretária de Políticas Sociais da CONTAG Edjane Rodrigues também destacou que: "momentos como esses são essenciais para planejar as ações de forma conjunta com as Federações e os Sindicatos. E esse olhar mais direto da base é um caminho que parece ser bem mais exitoso, pois fortalece nossa integração, e a nossa representação e representatividade junto aos trabalhadores rurais agricultores e agricultoras familiares. Vamos buscar os caminhos para implementarmos nossas ações e vencer as barreiras impostas pela atual conjuntura política que passa o Brasil!", destacou Edjane.





Veja mais imagens































fonte do blog de jocelino dantas

O que é a agricultura familiar

Foto: Albino Oliveira/ Ascom Sead

Mais de 84% do total dos estabelecimentos agropecuários brasileiros pertencem a grupos familiares


A agricultura familiar tem dinâmica e características distintas em comparação à agricultura não familiar. Nela, a gestão da propriedade é compartilhada pela família e a atividade produtiva agropecuária é a principal fonte geradora de renda.

Além disso, o agricultor familiar tem uma relação particular com a terra, seu local de trabalho e moradia. A diversidade produtiva também é uma característica marcante desse setor. A Lei 11.326 de julho de 2006 define as diretrizes para formulação da Política Nacional da Agricultura Familiar e os critérios para identificação desse público.

Segundo dados do Censo Agropecuário de 2006, 84,4% do total dos estabelecimentos agropecuários brasileiros pertencem a grupos familiares. São aproximadamente 4,4 milhões de estabelecimentos, sendo que a metade deles está na Região Nordeste.

De acordo com o estudo, ela constitui a base econômica de 90% dos municípios brasileiros com até 20 mil habitantes; responde por 35% do produto interno bruto nacional; e absorve 40% da população economicamente ativa do país. Ainda segundo o Censo, a agricultura familiar produz 87% da mandioca, 70% do feijão, 46% do milho, 38% do café, 34% do arroz e 21% do trigo do Brasil. Na pecuária, é responsável por 60% da produção de leite, além de 59% do rebanho suíno, 50% das aves e 30% dos bovinos do país. A agricultura familiar possui, portanto, importância econômica vinculada ao abastecimento do mercado interno e ao controle da inflação dos alimentos consumidos pelos brasileiros.

Para o coordenador-geral de Monitoramento e Avaliação da Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (Sead), Régis Borges de Oliveira, a relevância da agricultura familiar vai além da economia e da geração de renda. Segundo ele, também deve ser destacada a questão cultural desse modelo de produção. “O agricultor familiar tem um relação diferente com a terra, uma relação mais próxima devido à tradição familiar”, explica, ao lembrar que no Brasil a maioria dos municípios possui menos de 20 mil habitantes. “Nestas localidades, a agricultura familiar é muito presente e faz parte da cultura local”, acrescenta.

Conforme a Lei nº 11.326/2006, é considerado agricultor familiar e empreendedor familiar rural aquele que pratica atividades no meio rural, possui área de até quatro módulos fiscais, mão de obra da própria família, renda familiar vinculada ao próprio estabelecimento e gerenciamento do estabelecimento ou empreendimento pela própria família.

Também são considerados agricultores familiares: silvicultores, aquicultores, extrativistas, pescadores, indígenas, quilombolas e assentados da reforma agrária.

Apoio
O principal apoiador da agricultura familiar é o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), que tem como objetivo promover o desenvolvimento sustentável da agricultura familiar. Por meio dele, agricultores familiares podem acessar várias linhas de crédito de acordo como sua necessidade e o seu projeto. Podem ser projetos destinados para o custeio da safra, a atividade agroindustrial, seja para investimento em máquinas, equipamentos ou infraestrutura. Para acessar o Pronaf, a renda bruta anual dos agricultores familiares deve ser de até R$ 360 mil.

Para isso, é preciso ter a Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP). É ela que identifica o produtor com agricultor familiar, como explica Régis Borges de Oliveira. “É o principal documento de identificação e qualificação da agricultura familiar”, destaca. “A gente costuma dizer que ela é a identidade do agricultor familiar. Sem esse documento ele não é reconhecido enquanto uma categoria de produtor rural que vem sendo cada vez mais reconhecido e ganhando importância no nosso país”, conclui.

A DAP foi criada para identificar e qualificar o agricultor familiar e permitir acesso diferenciado às políticas públicas. Atualmente, a DAP concede acesso a mais de 15 políticas públicas, dentre elas o crédito rural do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), os programas de compras instrucionais, como o de Aquisição de Alimentos (PAA) e o de Alimentação Escolar (PNAE), a Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER), o Programa Garantia Safra e o Seguro da Agricultura Familiar.
fonte site MDA

sexta-feira, 4 de maio de 2018

Por Lula, Democracia e Direitos!







FOTO: Comunicação CONTAG


A comemoração deste 1º de maio – Dia do Trabalhador foi uma grande manifestação política em defesa da liberdade, da democracia, do ex-presidente Lula e da garantia dos direitos do povo brasileiro.


(Foto- Francisco Proner Ramos)

Desde a redemocratização do Brasil, esta é a primeira vez que o Dia do Trabalhador unifica as 7 maiores centrais sindicais (CUT, CTB, Força Sindical, NCST, UGT, CSB e Intersindical), transferindo o Ato geralmente realizado em São Paulo para Curitiba, com a presença de mais de 20 mil pessoas, na praça Santos Andrade.


(Comunicação CONTAG)

Além dos presidentes das Centrais Sindicais e Confederações, também estiveram no Ato, senadores, deputados federais e estaduais. A programação cultural ficou por conta do rapper Flavio Renegado, Ana Cañas e da sambista Beth Carvalho, que aproveitou para cantar o seu novo sucesso: “Lula Livre”.


(Foto- Francisco Proner Ramos)

A CONTAG esteve presente, representada por sua Diretoria, Assessoria e trabalhadores (as) rurais do Paraná, se posicionando em defesa da democracia, pela revogação da reforma trabalhista, contra o desmonte da Previdência, em defesa dos direitos e pela liberdade do ex-presidente Lula.



Caminhada - Bom Dia, Lula!
A CONTAG também participou de uma caminhada até a praça Olga Benário, que fica próxima à Superintendência da Polícia Federal, onde o ex-presidente Lula, está como preso político. Lá mais de 8 mil pessoas gritaram: “bom dia Lula” e se revezaram com falas políticas e manifestações de solidariedade: "Queriam prender Lula, mas não sabiam que ele não estava só”.


(Comunicação CONTAG)

Injustiça da Justiça Brasileira no caso Lula
Para a CONTAG defender LULA significa defender o real valor da JUSTIÇA BRASILEIRA, que atualmente está sendo contestado por várias organizações internacionais, entre elas a ONU e renomados juristas internacionais e nacionais.

A pressão internacional aponta que a juíza substituta da 12ª Vara Federal de Curitiba Carolina Lebbos não pode negar os pedidos de visitação ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, entre eles: as visitas do teólogo Leonardo Boff; do Nobel da Paz Adolfo Perez Esquivel; e dos 9 governadores da Região Nordeste. Na visão internacional a Lei Brasileira e os acordos internacionais assinados pelo Brasil não estão sendo cumpridos, pois é inconcebível condenar qualquer pessoa, sobretudo, com a representatividade que o ex-presidente exerce no mundo, sem no mínimo, o processo estar muito bem fundamentado e com vastas provas concretas. O que não acontece na condenação sem provas imposta ao ex-presidente por Sérgio Moro, juiz da 13ª Vara Federal de Curitiba (PR), no caso do apartamento tríplex do Guarujá. Um tríplex que não tem elevador privativo e não foi reformado pela OAS, ou seja, a prova incontestável de uma farsa produzida pelo juiz Sérgio Moro.

Assim, tanto para as organizações internacionais e brasileiras que primam pela JUSTIÇA, fica evidente que a decisão da maioria do Supremo Tribunal Federal (STF) está submetida aos interesses dos golpistas e dos seus aliados, entre eles, a Rede de Globo de Televisão e o capital rentista nacional e internacional.

Deixando evidente: Lula é preso político e está detido por ser o candidato favorito a presidência da República – 2018.

Mesmo diante das dificuldades do quadro atual, a CONTAG acredita que vencerá os desafios que tem pela frente. Portanto, serão mantidas as mobilizações organizadas pela Confederação, Federações e Sindicatos, nos municípios, nos estados, em Brasília, em Curitiba, e através do 5º ENAFOR, do CONGRESSO DO POVO BRASILEIRO e na disputa ELEITORAL de 2018.


Vamos à LUTA!
Por Justiça, Democracia e Direitos!
Lula vale a Luta!


ÁLBUM - Confira outros registros CONTAG/ACAMPAMENTO LULA LIVRE



FONTE: Comunicação CONTAG- Barack Fernandes